quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

A origem da árvore de Natal

O texto pode ser encenado por crianças de até 10 anos.

O narrador conduz a encenação, fazendo as pausas necessárias de acordo com o andamento da peça. A música deverá ter uma atenção especial. Nos momentos da fala, a música diminui e vice-versa.

Objetivo: mostrar a origem da árvore de Natal como símbolo para festejar o nascimento do Menino Jesus.

Personagens: de acordo com o número de crianças (10 a 36 crianças), anjos (5 ou mais), estrelas (5 ou mais), árvores — Palmeira/Oliveira/Pinheiro —, José e Maria.

Cenário: a paisagem de fundo é a gruta do presépio ou algo similar. As árvores serão do tamanho das crianças, para elas ficarem por trás. As crianças confeccionam as estrelas de papel com purpurina e prendem com adesivo nos braços e nas mãos, para, na hora de enfeitar o pinheiro, aproveitar o mesmo adesivo. Recomenda-se acrescentar outros efeitos.

Encenação: A origem da árvore de Natal

Narrador: Era noite na cidade de Belém. Aos poucos o céu foi ficando todo estrelado. Eram estrelas novas, com um grande rastro de luz.

(Com um fundo musical, entram as estrelas e se posicionam na parte de trás do palco, de preferência em cima de uma bancada.)

A lua brilhava diferente naquela região. Nunca tinha acontecido aquilo! As pessoas se sentiam atraídas pelo reflexo da luz. E a luz apontava para uma gruta. Quem chegava lá se sentia chamado a partilhar da beleza do acontecimento: o nascimento de um bebê.

Eis que é desvendado um grande mistério! Deus se faz criança, nascendo na simplicidade de uma gruta. Jesus nasceu, seus pais o carregaram com todo o carinho. Ele não teve berço, nasceu pobrezinho, numa gruta, mas cercado de amor e carinho.

(Música suave ou "Noite feliz" somente orquestrada. Entram Maria e José com o Menino.)

Ouve-se ao longe o canto dos anjos, eles anunciam o nascimento do Salvador.

(Colocar algum canto de "Glória" ou "Aleluia", que começa baixinho e vai aumentando. Entram os anjos, dançando devagarinho, e se posicionam atrás de Maria e José; eles podem falar alguma frase: "Glória a Deus nas alturas e paz na terra aos homens amados por Deus" ou outra.)

Os anjos são os ajudantes de Deus, os condutores do bem. Estão por toda parte e sempre perto de nós. Eles se preocupam com a nossa felicidade e com o bem-estar do mundo.

"Escutem uma Boa-Notícia, achareis um recém-nascido envolto em faixas e colocado numa manjedoura" (esta frase poderá ser falada pelos anjos). Aconteceu, então, o Natal!

(Música alegre.)

Nesse dia a natureza também se manifestou, ficando mais verde, mais florida, cheirosa e colorida, especialmente naquele lugar. Perto da gruta três bonitas árvores enfeitavam o ambiente, dando o aconchego e a sombra de que Jesus precisava. Elas também quiseram marcar presença no acontecimento. A Palmeira, balançando suas palmas, falou:

Palmeira: Ó meu "Menino", estou muito feliz de estar aqui. Por isso quero lhe oferecer o que tenho de melhor. Dou-lhe minha palma maior! Conte sempre com uma brisa fresca para seu bem-estar!

Narrador: A Oliveira acrescentou:

Oliveira: Eu também estou muito contente, Menino Jesus! Minhas melhores olivas servirão para amaciar seus pezinhos. Estarei sempre por perto!

Narrador: E o Pinheiro pensou, mas não descobriu nada que pudesse agradar ao bebê. Preocupado, falou:

Pinheiro: E eu, que posso oferecer?

Palmeira e Oliveira juntas: Ora, você não tem nada para dar!

Oliveira: Seus galhos são pontudos, podem até machucar o Menino!

Palmeira: Suas ramas têm espinhos, ninguém pode tocar!

Narrador: O Pinheiro ficou triste, tão triste, que até chorou! Mas os anjos do céu escutaram tudo, perceberam a tristeza do Pinheiro e resolveram ajudá-lo. Eles se reuniram para combinar o que fazer. Pensaram, pensaram e tiveram uma "boa ideia". Chamaram as estrelinhas do céu, contaram o que tinha acontecido e deram a sugestão... As estrelas adoraram a ideia!

Estrelas: É hora de ajudar quem está precisando!

(Ao som de uma música, as estrelas vão dançando e colocando as estrelinhas no Pinheiro, que fica brilhando.)

Oliveira: Que luz é esta? O que está acontecendo?

Palmeira: São as estrelinhas! Veja como está o Pinheiro.

Oliveira e Palmeira juntas: Ele está linnnnndo!

Depois de pronto, o Pinheiro fala:
Pinheiro: Que bom, que bom! Muito obrigado, meus amigos! Que essa luz sempre me acompanhe!

Narrador: Nesse momento o Menino Jesus sorriu, demonstrando que estava feliz com aquele "pisca-pisca". Foi o presente de que Jesus mais gostou! Nesse dia surgiu a árvore de Natal, que é sinal de festa, alegria, e um bonito enfeite para comemorar o nascimento de Jesus.

Fonte: Livro Páscoa e Natal – Encenações para catequese (Editora Paulinas)